Região atingida pelo rompimento da barragem de Brumadinho - MG. Foto: Isac Nóbrega/PR
em de

Rompimento da barragem em Brumadinho

O episódio ocorrido no dia 05 de novembro de 2015 se repetiu. Três anos depois, outra barragem da mesma empresa se rompe em Minas Gerais, desta vez em Brumadinho. Minha solidariedade com os familiares das vítimas, com o meio ambiente e com os animais, que foram vítimas desses criminosos ambientais.

Isso é crime! Por mais que a Vale pague o mais alto preço, por mais que indenize os familiares e traça planos para recuperação ambiental, não vai reparar os danos causadas com morte de gente e de animais, além de prejudicar gravemente o meio ambiente. Os responsáveis pela barragem devem responder criminalmente por homicídio culposo por negligência na fiscalização e segurança da barragem.

O ocorrido em 2015 não foi suficiente para deixar isso em alerta? Ah! Esqueci que a justiça com apoio do governo Temer, enrolou e acabou “perdoando”. Nada foi alterado na lei. A lei continua a mesma de sempre permitindo que o episódio se repetia e termina do mesmo jeito em pizza.

Agora com Bolsonaro, será que ele vai rever as leis ambientais? Primeiro ele disse que o ocorrido não é responsabilidade do governo. Já tirou o dele da reta. Pois bem, a culpa é da mineradora, mas é o governo o responsável pelas políticas ambientais que visam fiscalizar e tomar medidas rígidas para evitar que isso aconteça ou punir severamente quando isso ocorrer. Eu quero saber como isso vai terminar, porque o Bolsonaro já deu aval para leis que pretendem acabar com a natureza, ele que é inimigo do meio ambiente. É só esperar pra ver e pedir pizza no final.

Cartoon de © Carlos Latuff / Reprodução
Cartoon de © Carlos Latuff / Reprodução
*Os comentários não representam a opinião do blogue, a responsabilidade é do autor da mensagem. Antes de comentar, leia os Termos e Condições de Uso.

Deixe sua opinião

arma de fogo, gun-3603731_1280

Arma de fogo – um pensamento errado!

portas, escolha, dúvida, doors-1767559_1280

A Oportunidade